RESUMO – HORNETS 93 X 92 MAVERICKS

Em mais um jogo contra um adversário forte, o Hornets dessa vez conseguiu a vitória, e de um jeito sensacional. Após estar perdendo por 7 pontos no último minuto, o time não desistiu e tomou à força a vitória do Mavericks. A equipe de New Orleans (38-29) deu um passo importante para a vaga aos Playoffs, conseguindo uma pequena folga em relação ao Grizzlies e ao Suns.

– O Jogo:
Errando muito no ataque e defendendo pior ainda, o Hornets viu o Mavs abrir 11 a 4 com pouco mais de 4 minutos disputados. O treinador Monty Williams pediu tempo técnico para consertar o time, mas o ataque seguiu falhando demais. Em 7 minutos jogados, o Hornets havia marcado apenas 4 pontos. Com uma melhora defensiva, os zangões começaram a restringir a pontuação dos texamos, mas a dificuldade em acertar arremessos seguia prejudicando os donos da casa. A entrada do italiano Marco Belinelli melhorou o setor ofensivo do Hornets, que começava a encostar no placar: 12 a 8 para o Mavs, com pouco mais de 2 minutos por jogar no primeiro quarto. Tendo uma atuação mais sólida e contando com os erros de Dallas no
minuto final, a equipe da Louisiana conseguiu fechar o primeiro período empatando o jogo em 16 a 16.


Defendendo muito bem, o Hornets voltou para o segundo quarto contando com uma ótima atuação do ala-pivô reserva Carl Landry, que levava vantagem sobre o craque alemão Dirk Nowitzki e pontuava para colocar os zangões na frente, com 08:37 no relógio: 24 a 21. Acontece que Nowitzki não estava disposto a deixar barato. O germânico começou a fazer a diferença, se movimentando muito bem e pontuando tanto dentro do garrafão quanto com arremessos de média distância. Com 05:20 no relógio, ele deixou o Mavericks novamente na frente: 32 a 30. Com dois arremessos de três seguidos do porto-riquenho Juan Jose Barea, o quinteto texano abriu vantagem: 39 a 30. Com 01:30 por jogar no segundo quarto, o Hornets tentou encostar no placar, mas o Mavs vencia por 46 a 40. Até que restando míseros 2 segundos no relógio, o italiano Marco Belinelli acertou um arremesso inacreditável do meio da quadra. Um belíssimo buzzer beater, que fez a New Orleans Arena “explodir”. Intervalo: 46 a 43 para o Mavericks.
No terceiro quarto, Belinelli seguiu com a “mão quente”. Ele acertou um arremesso de três logo no início, mas o Mavs respondia com a velocidade e os bons passes do ala-armador francês Rodrigue Beaubois para o pivô Tyson Chandler. Com mais qualidade ofensiva, o time de Dallas foi se mantendo na dianteira. Com 06:11 no relógio, os visitantes venciam por 58 a 52. O Hornets batalhava, mas estava difícil virar o placar. As deficiências ofensivas do time e a noite apagada de David West (mais uma) comprometiam a vida dos zangões na partida.
A bela atuação do pivô Tyson Chandler dificultou ainda mais a situação do Hornets. Ele levava vantagem sobre Emeka Okafor na maioria dos lances e comandava o Mavs, que vencia por 62 a 54, com 04:40 no relógio. Mesmo com a boa participação de Belinelli, o Hornets não conseguia encostar no placar. Fim de terceiro quarto: 70 a 60 para o Dallas.
Sem Chris Paul e precisando melhorar seu aproveitamento no ataque, o Hornets sabia do desafio que teria pela frente no último período. Tirar dez pontos de vantagem de um forte adversário nos minutos finais já é complicado. Ainda mais quando se está desfalcado de seu principal jogador. O time lutou, acreditou até o fim e chegou estar perdendo por apenas 4 pontos (89 a 85), com 01:39 no relógio. Nos segundos finais, com atuação épica de Belinelli, os zangões estavam perdendo somente por 2 pontos (92 a 90), quando Jarrett Jack sofreu falta de Jason Kidd na linha de três pontos e acertou os três lances livres. Pronto. Festa na New Orleans Arena. Hornets na frente, por 93 a 92, com 00:08 segundos no relógio. O alemão Dirk Nowitzki teve a chance de acabar com a alegria dos zangões, mas errou o arremesso derradeiro. Vitória da garra, vitória da raça, vitória de um time que não desiste. Para nós, torcedores, mais do que a vitória, fica o
orgulho. E também a certeza de que temos uma equipe de guerreiros, que levantará e batalhará quantas vezes for preciso. Até que soe o cronômetro. GO HORNETS!!!


por Lucas Ottoni
– Destaques:
*Hornets:
-> Jarrett Jack: 21 pontos, 7 assistências e 6 rebotes;
-> Marco Belinelli: 21 pontos e 5 rebotes;
-> Dawid West: 16 pontos, 10 rebotes e 4 assistências;
*Mavericks:
-> Dirk Nowitzki: 26 pontos;
-> Tyson Chandler: 16 pontos e 13 rebotes;
– Público: 14,472
– Próximo jogo do Hornets: sábado, 12/03/11, vs Kings

Anúncios

Sobre Rafael Bittencourt

Gaúcho, 19 anos, estudante de Engenharia de Computação. Torcedor do Hornets desde 2007, atraído pelas atuações do MVPaul. Através de pesquisas e vídeos, tem David West como ídolo e como maior nome da história da franquia.
Esse post foi publicado em Resumo e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para RESUMO – HORNETS 93 X 92 MAVERICKS

  1. Rodrigo Goulart disse:

    Que vitória … PQP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s